Se encuentra usted aquí

Inicio

La Cerda ou Lacerda

Lacerda ou La Cerda

Apelido que terá origem em alcunha, sendo de uma ilustre e principesca família peninsular. 0 infante D. Fernando de Lacerda, filho mais velho do rei Afonso X, o Sábio, de Castela, e da rainha D. Violante de Aragão, foi cognominado de La Corda por haver nascido com um tufo de cerdas no peito. Do seu casamento com Branca de França, filha do rei D. Luís, dela teve geração, mas, vindo a morrer antes do pai, quem a este sucedeu na coroa de Castela foi seu irmão secundogénito, o infante D. Sancho. No reinado de D. Dinis viveu em Portugal D. João Afonso de La Cerda (herdeiro da Coroa de Castela), a quem o nosso Rei deu vários herdamentos, casando-o ainda com uma sua filha ilegítima, D. Maria Afonso. No tempo de D. João 1 casou em Portugal um fidalgo castelhano, Martim Gonçalves de La Cerda, com D. Violante Pereira, filha bastarda de D. Alvaro Gonçalves Pereira, prior do Crato, de quem teve descendência com os apelidos Pereira de Lacerda. Em meados do século XV viviam no nosso país dois irmãos chamados Nuno Pereira e Rui Dias de Serpa, tendo inúmeros descendentes do primeiro tomado o nome de La Cerda ou Lacerda. De forma que antes daquela época já em Portugal se teria instalado um ramo da descendência daquela principesca família. Consoante o demonstrou o Proba. Luís de Melo Vaz de São Payo em sua obra recente, era aquela protagonizado na pessoa de Martim Gonçalves de La Cerda, vindo aqui cerca de 1380. Seria ele filho de Diogo Nunes, chamado de Serpa, e de sua mulher, D. F. de La Cerda, filha natural de D. Carlos de La Cerda, dito de Espanha, que foi conde de Angoulême em França. E é possível que aquela designação de Serpa adviesse a Diogo Munes do facto de ele ser descendente, talvez neto do nosso infante D. Femando, denominado de Seipa, se bem que, como é óbvio, por via ilegítima. As annas dos La Cerda comemoram as origens desta linhagem: escudo partido, sendo o primeiro cortado de vermelho, com um castelo de ouro, e de prata, com um leão de púrpura e o segundo de azul, semeado de flores de flores-de-lis de ouro. Timbre: o leão do escudo.

Inicio de sesión